"Prevenção à gagueira" por Patricia Taranto



Hoje trago mais um excelente texto da nossa fonoaudióloga Patrícia Taranto falando ainda sobre gagueira infantil, um assunto que traz preocupação para muitas mamães!
 
"É comum encontrarmos na fala de crianças de 2 a 4 anos a repetição de alguns sons, sílabas e até mesmo uma a cada 4 palavras, em média, pode ser repetida.

Para Bloch, as crianças ensaiam a fala assim como ensaiam dar com os seus primeiros passos.

É fato que o período de maturação do Sistema Nervoso também é ocasião em que os órgãos fonoarticulatórios amadurecem, portanto, dizer que uma criança tem uma gagueira instalada é imprudência, é um rótulo inadequado. É necessária uma avaliação fonoaudiológica e a orientação à família e aos que convivem com esta criança especificamente, para que o meio não acelere algo que pode, por si só, nada além de um período de disfluência em uma fase fisiológica.

Cuidar que não receba rótulos, não imitá-la, não corrigi-la, não interrompê-la, não chamar a atenção para sua fala, não complementar o que ela está tentando dizer, são algumas medidas que podem auxiliar na prevenção da gagueira.

Deve se olhar com atenção no momento de sua fala, lembrando sempre que seu assunto deve ser o mais importante naquele momento e você foi escolhido para compartilhar. Demonstre interesse ao que ela diz e não pela forma estética como fala.

Truques para diminuir as dificuldades na palavra não devem ser ensinados, mesmo que seja boa a intenção e não solicite que a criança fale em momentos de forte emoção.

Melhor que deixar instalar uma patologia, é preveni-la e prevenir problemas de linguagem requer uma educação baseada na prática comunicativa, onde a criança tenha prazer de comunicar-se, onde exista recompensa através de elogios e estímulos, em ambiente calmo e seguro. Essa prática envolve experimentação e a compreensão do que é a interação dialógica, nesse sentido o corpo também deve ser levado a essa comunicação. Diferentes ambientes como areia e água auxiliam nessa percepção e são extremamente prazerosos para a criança. Ela deve integrar-se ao meio, saber seus limites e o do outro. Experimentar, verbalizar, ensaiar...

Respirar, mastigar, sentir prazer ao provar os alimentos, saber diferenciá-los, identificar cheiros, enfim, todas as percepções devem ser estimuladas; visual, auditiva, tátil sinestésica, olfativa, gustativa.

Falar deve ser um prazer. A magia da comunicação; sair de si para o outro, um ato sem restrições."

Leia mais aqui!
 
 
Comentários
5 Comentários

5 comentários:

  1. Ótimo texto! Precisamos ficar atentos às crianças.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto e as dicas. Meu filho Benjamin vira e mexe da umas enroscadas e eu me seguro para não terminar a frase para ele, pois fico com receio de criar justamente uma insegurança nele.

    ResponderExcluir
  3. Super texto muito informativo! Vou até recomendar a leitura a uma amiga!!

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto e a dicas ... Aqui desde que começou a falar nunca completamos as frases deixavam os ele dizer no tempo, e quando falava alguma palavra errada esperamos terminar e depois corrigi.

    Bjs Mi Gobbato - Espaço das Mamães

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do post é esclarecedor para ajudar as mamães que estão observando essas repetições na fala dos filhotes. É sempre bom buscar apoio em profissionais que dão ótimas dicas.
    Bjks

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita!!
Deixe sua mensagem, dúvida ou opinião, que ficarei muito feliz em responder!