Maternidade X Trabalho


Olá amigos e amigas! Hoje é dia de texto da nossa colaboradora com o quadro "Comigo foi assim" , uma excelente reflexão sobre o preconceito que existe nas empresas, com as mulheres que são mães e profissionais!! Venha refletir conosco!!
imagem pinterest
 
"Quando a gente trabalha, é mais nova, não pensa em ter filhos nem imagina que esse assunto seja tão importante, muitas vezes isso passa pela nossa cabeça, mas logo some, de tão absurdo que ele pode ser! Porém, quando você começa a se imaginar grávida, se depara com milhões de minhocas que fazem a cabeça ferver, depois você se imagina mãe, daí a cabeça explode, porque você não consegue imaginar como vai ser quando você tiver que entregar aquele mega projeto ou tiver que ir em uma reunião muito importante super cedo tendo que cuidar de uma criança. E ainda, tem que se preocupar, se o seu trabalho vai te “aceitar” como mãe.
 
Pois é, estamos em 2015 e esse assunto ainda está em pauta, infelizmente, existem empresas e pessoas que pensam que isso não é possível, que não dá para uma mulher ser profissional e mãe.
 
O que eu tenho a dizer é que é possível sim, dá para conciliar, dá pra ser uma boa profissional, ou ainda, ser até melhor, mais focada, mais determinada quando se tem um filho.
 
Quando começamos a falar desse assunto, todo mundo tem uma história de preconceito para contar. Esses dias vi uma empresária pedindo desculpas para as mulheres, antes de ter filhos ela achava um absurdo as mães saírem para buscar os filhos na escola ou faltar ao trabalho porque um filho estava doente, mas ela não via que aquelas mães eram as funcionárias mais dedicadas e produtivas da empresa.

Uma amiga certa vez me ligou indignada porque seu ex-chefe, logo que  ela voltou de licença maternidade, perguntou se ela já tinha decidido entre ser uma boa mãe ou uma boa profissional, isso em uma rede de televisão muito importante no Brasil. Hoje, ela não trabalha mais lá,  recebeu uma proposta de outra rede e foi feliz, sendo muito mais valorizada! Tenho certeza que o antigo chefe sente muita falta da excelente profissional que ela é.
 
Uma outra amiga, muito querida, trabalhava em uma grande agência aqui em São Paulo e quando teve o seu segundo filho foi demitida, sem dó nem piedade. O antigo chefe não teve nem vergonha na hora de se justificar, ele logo disse que ela não servia mais para empresa, eles precisavam de alguém que tivesse mais tempo para o trabalho, aff... desde quando tempo representa produtividade, tem gente que fica 24 horas na empresa e não produz nem metade de alguém que fica 6 horas, tudo depende do foco e da determinação de cada um.
 
Eu mesma, antes de voltar para a agência que trabalho, fiz uma entrevista, e conversa vai, conversa vem, rolando aquela sintonia entre entrevistadora e entrevistada, sabe quando você tem certeza que vai rolar uma proposta, no último minuto, ela vira e começa a falar dos benefícios, eu fui no básico: “E a licença maternidade?’. Ela me olhou assustada e disse: "Você quer ter outro filho?”. Eu logo disse, agora não, mas eu sou mulher, algumas coisas podem acontecer. Na mesma hora a cara dela fechou e eu já fiquei com raiva de estar ali, desperdiçando meu tempo, conversando com uma mulher que não reconhece os direitos básicos das outras mulheres.

 
Hoje eu fico feliz, por voltar a trabalhar em uma empresa que compreende e  sabe o valor das mulheres, tenho líderes mulheres que me inspiram e me encantam todos os dias.

 

Comigo, a experiência da gravidez e hoje, a experiência como profissional e mãe, só acrescentaram a minha vida. E com vocês? Como foi? Conta pra gente! "
 
Comentários
15 Comentários

15 comentários:

  1. Eu era executiva em uma transnacional e ganhava MUITO BEM! Mas não tinha hora pra sair e nem pra chegar. Então quando me casei o marido conversou comigo e juntos chegamos a conclusão que se quisemos uma familia unida, com filhos, teriamos que abrir mão de alguma coisa. Como a minha situação me permitia, troquei o meu emprego por outro. Comecei a lecionar na universidade. Trabalhava pouco - só as noites - mas também ganhava menos. Quando fiquei gravida, de fato, pensei em largar tudo. Mas depois eu vi que não! Que ter um emprego ou uma distração é fundamental para a saude e a auto estima da mulher. Hoje, sigo como professora e pretendo em breve ter mais um - quem sabe mais dois - bebes!

    http://www.arianebaldassin.com/

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente existem ainda esse tipo de pensamento
    quando somos jovens e sem filhos
    nem pensamos nisso
    mas quando a maternidade chega
    e estamos trabalhando ai sentimos na pele

    Linda Tarde!!
    beijokas da Nanda

    Mamãe de Duas

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente sofremos esse tipo de coisas
    graças a Deus eu nunca sofri
    mais é muito comum
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Realmente ser mãe é padecer no paraíso. Temos que se dividir em um milhão para executar várias coisas. E se quisermos trabalhar fora temos que realmente se dividir entre o trabalho e os filhos. Dando o nosso melhor. Abraços!
    http://www.rubiasolbakken.com/

    ResponderExcluir
  5. É impressionante como ainda exista pensamentos assim, como se fosse mãe anula outras funções
    Bjs Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Não é nada fácil conciliar, mas ter uma vida profissional torna a vida materna até mais prazerosa!!! Me sinto realizada com a maternidade, e me sinto bem profissionalmente, a empresa que eu trabalho é bem diversificada e não tem preconceito quanto a isso!!!

    ResponderExcluir
  7. Eu não dava para trabalhar, pois faltaria sempre que meu filho precisar e infelizmente as empresas não aceitam. Beijos www.maeparasempre.com

    ResponderExcluir
  8. Não sou mãe, mas infelizmente ainda se vê casos semelhantes aos das suas amigas, muito triste isso.
    Beijos!
    islary34.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Por enquanto só trabalho em casa, ainda não voltei a ativa fora de casa...é muito complicado, mesmo assim temos mil coisas para fazer e parece que não vamos dar conta! bjo

    ResponderExcluir
  10. Super concordo com seu post!
    Ainda existe muito esse tipo de coisa... parece que somos menos eficientes se temos filhos... absurdo!
    Eu continuei trabalhando... pois meu trabalho permite horário flexível e se precisar fico em casa com meu filho numa boa, claro que o salário acaba sendo menor do que numa empresa maior, mas pra mim compensa.
    E pq trabalho fora não quer dizer q seja melhor ou menos mãe... como algumas acham... simplesmente busquei o equilíbrio entre trabalhar fazendo o que gosto e o tempo com o meu filho ser de qualidade.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Tenho 3 filhas e a única forma que consegui para poder trabalhar e ficar com as meninas foi trabalhar em casa!!! Sem chefe, sem horários fixos e sem muito dindim também, mas acompanhando todas as fases das minhas filhas!!!!
    BJKS

    ResponderExcluir
  12. Eu não conseguiria trabalhar fora... Tem mil coisas para fazer e não conseguiria deixar a atenção, o carinho e as brincadeiras com meu filho em segundo plano ou para terceiros...
    Eu até tentei voltar ao mercado de trabalho, de tanta pressão que já senti, mas percebi que fiz a escolha certa... Mas durante a entrevista eu senti esse descaso com as mulheres com filhos... Mas não sei dizer se é certo ou errado, porque as empresas tem o direito de escolher suas prioridades, assim como as mulheres tem o direito de escolher voltar ou não a trabalhar, ou escolher empresas que aceitem suas condições como mulher...
    Apesar da mulher estar ativa no mercado de trabalho, preconceitos sempre vão existir...
    Boa sorte, tenha foco e fé, que tudo vai dar certo e ficar bem...
    Bjs
    Ju

    ResponderExcluir
  13. Esse tipo de coisa acontecer ainda nos dias de hoje é um absurdo... Eu não passei por isso... eu parei de trabalhar quando estava grávida da minha baby e não voltei e nem pretendo voltar ao mercado de trabalho, meu trabalho hoje é como blogueira e fora isso é cuidar do marido, casa e baby. Como pude escolher ficar em casa com ela, aproveitei essa oportunidade e não me arrependo. Foi a melhor escolha! Bjs

    ResponderExcluir
  14. Não é facil conciliar trabalho e filhos, só se vc tiver ajuda né..
    Eu mesmo larguei a sala de aula para ser blogueira, só vou as vezes para substituir algum professor..
    Beijos

    www.umaboamae.com.br

    ResponderExcluir
  15. É muito triste vivencia este destrato dos chefes.
    Eu engravidei e estava trabalhando, só que já era minha segunda gravidez, e tinha tido um aborto antes, então claro que teria um super cuidado por minha parte e por parte da médica. Ela simplesmente não entendeu, e sempre me tratava com arrogância e ríspida. Tive que ficar em repouso para ver se evoluía, e logo ligo para avisar e me pergunta quando voltaria, fiquei muito triste, e infelizmente eu perdi novamente, e quando voltei fui mandada embora.
    Mas fiquei feliz e já esperava, trabalhar com gente que não se coloca no lugar da outra pessoa é muito triste.
    Bjs
    Vivi e Isaac

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita!!
Deixe sua mensagem, dúvida ou opinião, que ficarei muito feliz em responder!